Escola de Ofícios Tradicionais de Mariana recebe Conselho Consultivo do Instituto Pedra
21 de novembro de 2019
Escola de Ofícios Tradicionais de Mariana divulga lista de alunos selecionados para o próximo semestre
18 de dezembro de 2019

Aulas de Empreendedorismo se encerram com a apresentação de empresas fictícias criadas pelos alunos

A Escola de Ofícios Tradicionais de Mariana está encerrando o primeiro semestre de aulas com chave de ouro! Na última aula de Empreendedorismo, que aconteceu no dia 04 de dezembro, grupos de cada Ofício criaram uma empresa fictícia e apresentaram aspectos teóricos, como segmento de público e importância para o mercado. Além disso, também abordaram questões mais práticas, como preço dos produtos e forma de comercialização. 

Para o professor Alexandre Brito, a disciplina foi voltada muito para o lado prático e, pelas apresentações, deu para perceber que os alunos compraram a ideia. Ele também acredita que “o trabalho vai ultrapassar as barreiras da Escola”, e enfatiza a forma como as empresas foram apresentadas: “Eles tiveram uma entonação totalmente diferente, voltada para o lado empreendedor e isso que conta nessa aula”.

A Escola de Ofícios Tradicionais de Mariana carrega, para além da habilidade com o Ofício, a questão da sustentabilidade do negócio. Assim, as aulas de Empreendedorismo apresentam os aspectos formais de se ter a própria empresa ou trabalhar de forma autônoma, focando em pontos como a precificação, a forma de lidar com o cliente e as propostas de valores de cada peça.

Para Ney Nolasco, supervisor técnico da Escola, “em muitas áreas, é importante o profissional ter um espírito empreendedor, para ter outras chances de renda”. Para ele, a aula é importante porque algumas pessoas já tinham essa visão, mas não sabiam dos riscos e de como solucionar problemas. Ney também diz que pelas apresentações finais e pela participação dos estudantes nas aulas, a Escola conseguiu atingir o objetivo da aula de Empreendedorismo: “Sensibilizar e motivar para que entendam o processo e tenham mais cuidado quando forem implementar sua própria empresa”.

 

      

    

VOLTAR PARA O TOPO