OFÍCIOS

Um Ofício Tradicional é uma atividade que tem sua origem em nossos antepassados. Trata-se de um “saber fazer” transmitido no tempo por meio de valores, costumes, conhecimentos e técnicas. Como uma herança cultural recebida do passado, um ofício se adapta a cada período histórico, em um constante processo de produção e transformação de conhecimentos que mantém, em certa medida, as características originais para que se preserve como tradicional.

As construções de valor histórico e artístico são resultantes da produção dos mestres dos ofícios tradicionais e também deles dependem a preservação destes importantes monumentos.

A restauração arquitetônica contribui para garantir a integridade física e cultural do bem edificado e promove ações que visam a longevidade dos materiais e sistemas construtivos, possibilitando a proteção dos bens artísticos integrados contidos nas estruturas arquitetônicas do monumento.


Descrição em breve


O ofício e arte da Cantaria, que tem como material de trabalho as rochas e os minerais, transforma esta matéria bruta em peças artísticas de grande utilidade para o ser humano.

Certamente é uma das mais antigas atividades práticas do ser humano, que contribuiu enormemente para o crescimento e desenvolvimento da humanidade, não só no aspecto econômico, político e social, mas também nas artes e na cultura. No mundo e no Brasil a cantaria significou um importante passo na produção de edificações mais resistentes às ações do tempo e das intempéries e até mesmo das ações provocadas pelo próprio homem.

O oficial da cantaria é o canteiro. Esta profissão é uma variação da prática da execução de esculturas em rochas. A escultura, em geral, produz elementos de forma livre ou em relevo no espaço, prendendo-se aos conhecimentos adquiridos pelo autor, usando seu talento artístico e suas habilidades técnicas e instrumentais. Já a cantaria é uma produção de forma mais rígida, onde o trabalho se inicia no traçado de linhas paralelas sobre a pedra e depois se realizam cortes precisos para deixar plana a superfície entre estas linhas, formando os rebaixos e relevos desejados. Com o tempo, a prática e sua dedicação o canteiro pode adquirir habilidades artísticas e, assim, inserir formas mais elaboradas aos elementos da cantaria que ele produz.

Nas cidades históricas como Mariana e Ouro Preto podemos ver as peças em cantaria nas escadarias, nas colunas e balaustradas das igrejas, nos chafarizes, nas pontes e nas portadas do casario. Por isto, o Canteiro é um importante profissional nas obras de conservação e restauro dos monumentos das nossas cidades históricas.


A Carpintaria Tradicional é uma das atividades fundadas no conhecimento de nossos antepassados. Ela é considerada uma das atividades mais antigas do homem e consiste em se trabalhar a madeira – seja em seu estado natural ou previamente manipulada – com a finalidade de produzir os mais diversos elementos de uma edificação, como os assoalhos, os forros, as portas, as janelas e os telhados, e também na produção de objetos utilitários e decorativos usados no dia a dia das famílias.

A madeira é um dos principais materiais usados nas antigas construções, como as que encontramos nas nossas cidades históricas e, em especial, Mariana. O carpinteiro deve ser um profundo conhecedor do material com o qual trabalha (a madeira) e das técnicas que garantem a qualidade do que produz. A profissão de carpinteiro é indispensável na nossa sociedade, trazendo segurança e conforto para todos nós. Por tudo isso, o seu “saber fazer” é um instrumento fundamental para a preservação e transmissão da nossa cultura para as presentes e futuras gerações.


O Ferreiro Forjador é um profissional que cria e modela objetos de metais, através do seu aquecimento, malhação e outros tratamentos, utilizando o fole, a forja, a bigorna, o martelo e outros instrumentos, em processos tradicionais/artesanais. Acredita-se que esta profissão exista deste quando o homem aprendeu a manipular e moldar os metais (em torno de 2.000 a.C.), sem grandes alterações até os tempos atuais.

Na Europa, durante a idade média, o Ferreiro Forjador ocupava uma posição de destaque na sociedade, pois ele era responsável por praticamente toda a metalurgia na aldeia, produzindo todas as peças de metal necessárias na vida do povoado. Naquele tempo, a figura do Ferreiro se tornou sinônimo de forjador de armas (espadas, lanças, flechas, machados, etc.) utilizadas pelos soldados da época, já que era dele esta função, além de equipar os exércitos com as ferraduras para os cavalos, peças das carroças, couraças, elmos e outros dispositivos de proteção dos soldados.

Na nossa região vemos as peças forjadas compondo as antigas edificações, como os sinos, as aldravas, as fechaduras, as dobradiças, os trincos, as grades, os lustres e os cravos. Por isto, o ferreiro forjador é um profissional de grande valor nas obras de conservação e restauro dos monumentos das nossas cidades históricas.


Descrição em breve
VOLTAR PARA O TOPO